Archive | agosto 2011

SEO – Otimização Externa

Dando continuidade ao post anterior, onde tratamos de identificar o que é SEO e os principais fatores de otimização interna, vamos falar agora sobre os fatores de Otimização Externa, ou OffPage SEO.

Trata-se  de todos os fatores que estão fora do site mas que ao serem bem trabalhados podem ser o que vai realmente alavancar o seu site para as principais posições nos resultados de pesquisa.

 

Vamos listar então os principais fatores de Otimização Externa:

  • Apontamento de sites – refere-se à quantidade e qualidade dos sites que apontam para o site que está sendo otimizado. Quanto mais links externos, melhor será para o seu posicionamento nos resultados.
  • Textos dos links externos – tem a ver com o texto que está descrevendo o site apontado. O mais indicado é que  os links externos citem a sua palavra-chave.
  • Page Rank – quanto maior o page rank do site externo que está apontando para o seu, melhor.
  • Quantidade de links
  • Popularidade dos links
  • Endereços IP – quanto mais endereços IPs diferentes estiverem apontando para o site, melhor será para a sua otimização.
Além de observar a boa utilização desses fatores, é interessante fazer um levantamento dos fatores mais trabalhados pelos sites concorrentes ao seu. Pois assim será possível saber em que ponto você terá que focar mais para ultrapassar o seu concorrente nos resultados de pesquisa.
#ficadica
Anúncios

GridView – Exibindo cabeçalho mesmo quando não há dados

Oláa,

Essa dica é muito simples, porém se trata de um detalhe “besta” que eu custei a descobrir como que se fazia. Quando eu estive precisando disso, ao pesquisar no Google encontrei diversos tipos de gambiarras… algumas muito feias por sinal!!!rsrs..

Quando estamos fazendo uma tela em C#, ao utilizar o GridView logo percebemos que quando o DataSource ligado a este gridview não está retornando nenhum registro o grid simplesmente não aparece. E nem sempre isso é o ideal, às vezes precisamos deixar a vista pelo menos o cabeçalho do grid que em algum momento será preenchido com um lista de informações.

Para isso, basta alterar duas propriedades de aparência do grid: ‘ShowHeaderWhenEmpty’ e ‘EmptyDataText’.

ShowHeaderWhenEmpty recebe true/false que neste caso deve receber true.

EmptyDataText recebe o texto que deve ser exibido no grid caso ele não tenha dados, por exemplo ‘Não há registros’.

Como resultado, teremos um grid com esta aparência quando não houverem dados.

Simples né?? São pequenos detalhes que fazem o diferencial na sua aplicação… 😉

SEO – Search Engine Optimization (O que é e como usar)

Otimização para Buscas, ou SEO (acrônimo de Search Engine Optimization). Tudo se resume a técnicas que te permitem aprimorar o desempenho de um site diante dos mecanismos de busca. E essa melhoria não está ligada somente à quantidade de visitas, mas também à qualidade das visitas, pois te permitirá chamar para o seu site principalmente o seu público-alvo e isso é muito importante nos dias de hoje em que existem tantos sites falando sobre taaaaantas coisas não é mesmo??

Em um mercado onde existem tantos ‘sobrinhos’ vendendo o serviço de desenvolvimento de sites, cabe aos profissionais buscar e investir tempo em coisas que serão o seu diferencial no momento de oferecer o seu produto/serviço. Entendo que conhecer técnicas SEO contam muito na hora de vender o serviço de desenvolvimento de sites. Vamos lá então:

  • O primeiro passo importante está em fazer o levantamento das palavras-chave do seu negócio/serviço/assunto tratados no site em questão. Para ajudar a escolher as melhores palavras-chaves a serem utilizadas, podemos utilizar os serviços do Google AdWords e do Google Trends que nos guiam nessa escolha.
  1. O Google AdWords nos permite fazer uma pesquisa da concorrência e quantidade de pesquisas realizadas nos últimos 12 meses para as palavras e frases-chave selecionadas. É possível pesquisar por todas as palavras-chave de uma vez só, basta  colocá-las uma por linha.
  2. O Google Trends permite verificar qual das variações de palavras é mais pesquisada (sinônimos, plural e sazonalidade). Por exemplo: carro x automóvel, site x sites, sistema x sistemas.
Após descobrir quais as melhores palavras-chave a serem utilizadas para o seu site, cabe-nos utilizar os ‘fatores de otimização onpage para começar o trabalho. Fatores de otimização onpage estão ligados ao próprio site, como a URL, o título, o conteúdo, o tempo de carregamento e etc. Vamos a elas:
  • Título – a tag de título <title> informa tanto aos mecanismos de busca quanto aos usuários qual o tema de cada página. O ideal é criar um título único para cada página do seu site. Quando a sua página retorna como resultado de uma pesquisa é o conteúdo do título que aparece na primeira linha do resultado.
    • Descreva com precisão o conteúdo da página. Evite títulos que não tenham relação com a página, ou títulos genéricos como ‘Sem título’ ou ‘Página1’.
    • Crie títulos únicos para cada página. Evite usar o mesmo título em todas as páginas do seu site ou em um conjunto grande de páginas.
    • Crie títulos descritivos e curtos. Evite usar títulos muito longos pois o Google só exibirá parte dele no resultado  de pesquisa, evite também títulos pouco úteis ou com palavras-chave desnecessárias.
  • Meta tag descrição – a tag <meta name=”description”> permite a inserção de uma descrição da página em formato de até um parágrafo. Essa tag de descrição é importante porque talvez o Google utilize esse texto nos resultados de pesquisas (snippet).
    • Faça diferentes descrições para cada uma de suas páginas.
    • Resuma precisamente o conteúdo de cada página permitindo que o usuário tenha o seu interesse despertado. Evite preencher a descrição somente com palavras-chave, evite replicar o conteúdo da sua página como descrição, evite utilizar descrições genéricas ou sem relação com o conteúdo da página como por exemplo ‘Esta é uma página da internet’.
  • Meta tag “keywords” – nesta tag é possível listar as principais palavras-chave de cada página, separando-as por vírgula.
    • Evite utilizar palavras-chave que também estejam presentes no texto da página e também não repita mais de uma vez a mesma palavra-chave na tag, pois isto pode ser considerado como spam.
  • Estrutura das URLs – melhore as suas URLs dando nomes descritivos a elas, dessa forma o site não só ficará mais organizado como também obterá um melhor rastreamento dos mecanismos de busca. Evite utilizar URLs extremamente longas ou que possuam poucas palavras reconhecíveis, pois elas não serão facilmente decoradas pelos seus usuários além de que não os deixarão à vontade.
    • Utilize suas palavras-chave nas URLs.  Evite nomes genéricos como ‘pagina1.html’.
    • Utilize uma estrutura de diretório simples que permita aos seus usuários saber onde estão em seu site. Evite nomes genéricos de diretórios ou muitos subdiretórios como ‘../dir1/dir2/dir3/dir4/di5/dir6/pagina.html’.
    • Utilize apenas UMA url para cada documento.
  • Heading Tags – as tags de cabeçalho começam com <h1>, a mais importante, e terminam com <h6>, a de menos importância. Essas tags aumentam o tamanho da fonte ajudando os usuários a perceberem a importância do texto exibido.
    • Utilize tags de cabeçalho com moderação pois elas podem dificultar a leitura do texto, tirando a nitidez de onde um assunto começa a outro termina.
  • Imagens – todas as imagens podem ter um nome de arquivo e um atributo “alt” que te permite inserir um texto alternativo para a imagem, caso ela não possa ser exibida por algum motivo, como por exemplo ao visualizar o site em um navegador que não suporta imagens.
    • Utilize nomes de arquivos e atributos “alt” curtos e descritivos. Evite informar nomes genéricos como “imagem1.jpg” e evite preencher o atributo “alt” com palavras-chave ou frases inteiras copiadas.
    • Ao utilizar imagens como link forneça o atributo “alt” pois os mecanismos de busca utilizam essa informação para  compreender melhor a página que você está apontando. Textos “alt” muito longos podem ser considerados spam.
    • Guarde suas imagens em um diretório separado, por exemplo “www.seusite.com.br/imagens”.
    • Utilize arquivos em formatos amplamente suportados (jpeg, gif, png e bmp).
  • Robots.txt – este arquivo deve ser colocado na raiz do site e informa aos mecanismos de busca se eles podem ou não acessar e varrer partes do seu site. Para saber mais como bloquear URLs assista ao vídeo do engenheiro do Google Matt Cutts.
    • Para conteúdos confidenciais ou delicados é mais  seguro utilizar criptografia ou proteção através de senha utilizando .htaccess, pois mecanismos de busca desonestos ou não compatíveis podem não obedecer as instruções no robots.txt.
  • Melhore seus textos âncora ( <a href=”…”></a> ) – o texto clicável inserido dentro da tag âncora servirá não só para o seu usuário entender para onde você está apontando como também para o mecanismo de busca.
    • Escolha um texto descritivo que informe o mínimo sobre a página que ele aponta. Evite escrever textos âncora genéricos ou utilizar a URL como texto âncora.
    • Escreva textos concisos, geralmente algumas palavras ou uma pequena frase.
    • Deixe seus links facilmente reconhecíveis através de estilização (CSS).
  • Utilize rel=”nofollow” para links quando necessário – o atributo “rel” de um link como “nofollow” informa ao Google que um determinado link não deve ser seguido ou passar a reputação da sua página para as páginas vinculadas a ela.
<a href="http://www.siteindesejado.com.br" rel="nofollow">Conteúdo para não seguir</a>

Se você tiver interesse em utilizar nofollow para todos os links de uma página, você pode usar nofollow na sua meta tag robots da seguinte forma.

<html>
<head>
<title>Nome da página</title>
<strong><meta name="robots" content="nofollow"></strong>
</head>
<body>
...
  • Ofereça conteúdo de qualidade – com toda a certeza, criar conteúdo útil e atraente será o fator de maior influência do que todos os fatores anteriores.
    • Escreve textos fáceis de ler. Evite erros ortográficos.
    • Fale sobre um tema de cada vez, de nada adianta gerar conteúdos muito grandes e que falem sobre muitos assuntos ao mesmo tempo.
    • Utilize uma linguagem adequada ao público principal que deseja atingir.
    • Crie os seus próprios conteúdos e os mantenha atualizados – isso fará com que seus usuários atuais retornem, além de buscar novos visitantes.
    • Ofereça conteúdo e serviços exclusivos.
Estas são algumas dicas para melhorar o posicionamento do seu site diante  dos mecanismos de busca. Em breve espero poder continuar dando algumas informações para ajudá-los a otimizar os seus sites para os mecanismos de busca.
Fontes:

Campo “booleano” no MySql

Então,

Segue uma dica simples mas que fazendo uma breve pesquisa no pai de todas as dúvidas Google é possível perceber que existem muitas pessoas penando com esta dúvida.

 

Realmente, o MySql não possui um tipo que seja exatamente Booleano – que vá guardar true ou false – porém possui o campo tinyint que  praticamente todos adotaram para trabalhar como se fosse booleano.
Este campo tem capacidade para armazenar números inteiros de 1 byte (0 a 255 [unsigned] ou -128 a 127 [signed]). Logo, ao armazenarmos 0 (zero) neste campo, estamos guardando false e ao armazenarmos qualquer outro valor aceitável, estamos guardando true.

 

Simples assim… =)

Novidades

Puxa…quanto tempo sem postar…desde de fevereiro…
Como já é praticamente padrão nos blogs de TI, infelizmente andei realmente sem tempo para manter isso aqui atualizado.
O serviço no projeto tiseg.com veio bombando desde o início do ano, além dos preparativos para a minha empresa, a Oliveira’s CGI.

Coisa pra postar tem de monte, mas tá tudo só na cabeça…rsrsrs…. Vou organizar melhor o tempo afim de produzir novos artigos. O legal é que agora como estou tendo a oportunidade de desenvolver em C# também, provavelmente teremos artigos separados principalmente nestes dois grupos e talvez até coisas aplicáveis para ambos, como a utilização de alguns plugins, jquery, etc….

Enfim, este post é praticamente para avisar que ainda estou viva e que pretendo fazer disso aqui um blog ativo.

No mais, boa noite.
🙂

%d blogueiros gostam disto: